Posts

Critica segundo o dicionário é

“Análise avaliativa de alguma coisa; ação de julgar ou de criticar: submeteu o livro à crítica do professor. Avaliação negativa; censura ou condenação. “

Perceba que a palavra vem recheada de conceitos negativos que disparam gatilhos emocionais.  Quando se faz uma busca por sinônimos, os resultados são igualmente interessantes: maledicência, julgamento, autopsia, censura, alfinetada, glosa.

A Crítica carrega no seu íntimo questões, que as pessoas detestam que é a avaliação, exame, julgamento, pois ela desperta nossas dores e pode tocar nas feridas emocionais.

Muitas vezes ela vem carregada de “desejos nobres”, muitas vezes, chamado de orientação ou desenvolvimento, mas traz sempre dissabor para quem recebe.  O problema é que “Ela” deseja ser a dona da verdade, a vencedora em uma discussão, pois ela arrasa com o outro, desmonta, mexe nas feridas e faz sangrar emocionalmente.

Ser criticado gera temor, mexe com nossas dificuldades e com a ideia de ser apontado como sem qualidade, sentir-se inadequado e fora do esperado.

A grande questão é que a crítica por si, não muda nada. Criticar, criticar e criticar não modifica o comportamento do outro, apenas o afasta, cria distâncias, recolhimento.  A crítica impede quem recebe, temporariamente de se pensar com clareza, avaliar o que aconteceu, pois ela vai onde é dolorido emocionalmente, o que impede uma recuperação imediata, uma mudança de comportamento imediata

A crítica afasta do objetivo, pois ela afasta as pessoas.

Muitas vezes, quem a faz a crítica não percebe o impacto de sua fala, não consegue avaliar o estrago feito, pois, o criticado engole a dor, sofre sozinho, calado, com receio de que o será descoberto, revelando em suas dores mais profundas.

A crítica desbanca e destrói emoções positivas pois afeta nosso santuário emocional, vem com a força de um tsunami: arrasa com tudo, acaba com o que foi construído com esforço, cuidado e boas intenções, pois ela julga, vomita suas forças e nos impede de reagir momentaneamente.

Quando o criticado consegue engolir, ele rumina suas dores no isolamento de sua mente. Entra muitas vezes num processo de se autossabotar, de inercia frente ao impacto, revivendo sua dor, num looping interminável.

Como evitar esse efeito tsunami?

A crítica nos atinge profundamente quando toca em nossas mazelas, nas nossas dores. Saber e conhecer esses pontos é parte desse processo para evitar um estrago maior. Conhecer minhas feridas emocionais, abre espaço para resolução de minhas dificuldades, o simples fato de conhecer e reconhecer meus pontos a serem desenvolvidos, me possibilita lidar melhor com a crítica e com isso evitar um estrago maior.  O Autoconhecimento e a nossa capacidade de ressignificar podem permitir um bloqueio parcial para a crítica que vem do outro.

 Ao mesmo tempo, apreciar minhas capacidades e minhas habilidades me permite bloquear o poder de uma crítica.

Conhecer o que dispara essas ondas de desorganização emocional é chave para não ser afetados por esse tsunami, que é uma crítica.

Evitar o tsunami não depende de mim, mas posso me preparar para ele, construir minha casa no ponto mais alto (autoconhecimento), ter botes e coletes para não me afogar (apreciação), ter alertas para tsunami (apoio), enfim, preciso estar preparada da melhor forma para não me afogar e sucumbir no mar de críticas.

Por isso, não acredito em critica construtivas.

A crítica tem no seu amago a destruição, pois ela descortina vulnerabilidades e expõe temores, ela não constrói relações.

Quando o objetivo da crítica é melhorar o outro, ajudar, desenvolver a conversa a conversa deve ser de entendimento, escuta, empatia e orientação.  Crítica por si só, não traz melhoria. Aproximação, conexão, perguntas de entendimento são os caminhos para construir e apoiar desenvolvimentos.

Criticar é fácil, difícil é mudar. Aproximação, conexão e afeto tem o poder de apoiar as mudanças e ressignificar sentidos.

Monique Callegari

18/02/2022

#criticas

#apreciação

 

Iniciei esse ano uma formação em Aprendizagem Autodirigida pensando que seria sobre processos de aprendizagem e técnicas, mas na verdade foi uma jornada pessoa de autodescoberta de minha potência individual.

Convivi com pessoas de tribos, que achava diferente das minhas no início, mas que ao conhece-las, descobri que tínhamos muito em comum.

Nos conectamos profundamente, pois entendi a importância de apreciação.

Na verdade, vivi na prática ser apreciada e aprender a apreciar.  Confesso que no início achava tudo muito estranho, achava que não tinha nada a apreciar nas pessoas, mas entendi no decorrer do processo que para apreciar o outro, preciso me apreciar.  Percebi que o do processo começa comigo, me vendo, me olhando e entendendo, validando o que é importante para mim e para os outros.

Ao mergulhar no tema, entendi que Apreciação tem relação com contemplação, tem relação com ver as coisas, não somente olhar, mas ver as coisas simples que nos rodeiam como a delicadeza de uma planta, o som do canto de um passarinho, uma nuvem que brinca no céu, o sorriso puro de uma criança, a minha imagem no espelho, as pessoas que me cercam… enfim … parar – olhar- sentir – apreciar.

O exercício começa em apreciar o que te rodeia. Olhar as coisas que você tem a sua volta nesse momento … o vento que entra pela janela e bate no seu rosto, o fio de cabelo que dança sobre sua face e que quer se aproximar de sua boca, a dança dos fios de cabelo ao sabor do vento. Isso é apreciar. Não precisa ser nada extraordinário. Só precisa ser visto e sentido… desacelerar o tempo e curtir os pequenos momentos. Desacelerar a mente e aproveitar os doces pensamentos. Desacelerar a vida por alguns instantes para apreciar.

Parar agora e olhar o seu entorno… ouvir, sentir, aspirar o perfume que está no ar …ouvir os sons de vida a sua volta … sentir o toque dos dedos no teclado, apreciar sua vida, aqui e agora.

É sobre isso … sobre desacelerar, perceber, sentir e apreciar. Simples assim. Nada de complicado: o simples. Olhar a vida com afeto, olhar a vida com beleza, olhar a vida com detalhismo, somente isso, simples e fácil.

Observar o voo de um pássaro e apreciar sua beleza, olhar uma planta e perceber suas texturas, simples, belo, fácil.

Agora olhe para si, olhe para suas mãos que rola o mouse no teclado, aprecie o toque, aprecio seus dedos, veja a pressão necessária para o mouse se mover pela tela, aprecie seus dedos, com unhas pintadas, unhas roídas, esmalte descascado, ou nada de esmalte. Olhe as ruginhas dos dedos, observe a passagem do tempo em suas mãos. Sinta que essas mãos tem história, tocaram pessoas queridas, tocaram conquistas, escreveram TCCS, escreveram cartas de amor, escreveram bilhetes de despedida, assinaram contratos de trabalho e de casamento. Tocaram a pele de amores e amantes, tocaram bocas que desejavam, tocaram suas partes intimas.

Fizeram amizades, abraçaram pessoas que amavam ou que admiravam, deram tapinhas nas costas de amigos e de “inimigos”, limparam o choro e o nariz escorrendo quando se emocionaram… pegaram bebês, flores, presentes e contas para a pagar…rsrsrs

Enfim, essas mãos tem histórias para contar, mas veja que não as apreciamos, nem lembramos delas e nem desses momentos maravilhosos, mágicos e triviais em que elas nos ajudaram. Isso é  apreciar, olhar, perceber, sentir.

Fico pensando como tudo poderia ser diferente se fossemos treinados para apreciar ao invés de criticar e julgar. Poderíamos aproveitar mais a vida, perceber as nuances das coisas, que passam batido, pois estamos preocupados em ver o que não funciona…

Estamos tão viciados nessa ideia de crítica e julgamento sobre as pessoas que fazemos isso com a gente, não apreciamos quem somos, não apreciamos o que temos e nem que nos tornamos.

Quero desacelerar um pouco, acalmar minha mente e apreciar meu dia.

Quero curtir as coisas em toda sua potência, sejam boas ou nem tanto…

Quero me curtir como pessoa que sou com minhas forças e com minhas limitações,

Quero curtir minhas conquistas e meus deslizes pois tenho a aprender com eles,

Quero aproveitar cada elogio recebido e cada dor sentida, pois elas me mostram que estou viva e que tenho a possibilidade de ser diferente,

Quero aproveitar de uma forma linda e cuidadosa tudo o que acontece comigo.

Quero apreciar minha vida!!!

Monique Callegari

16/12/2021

#voumecurtir

#autoapreciação

#semjulgamentos